Arquétipos do Amor

16 abr Arquétipos do Amor

Há alguns anos, eu comecei o processo de criação do método Arquétipos de Amor ©… Na verdade, eu não o fiz intencionalmente, de fato, foi quase acidental… E quero contar a história do que hoje desperta a minha paixão como consultora.
 
Lembro que, eu tinha um crush por um cara, que era um mistério para mim, em comparação aos homens que até então eu havia saído. Parecia que ele queria… mas às vezes não… às vezes, talvez. Quanto às minhas relações, eu, geralmente, não sou muito passiva, nem tenho muita paciência (devido o arquétipo que me caracteriza, que talvez mais tarde, eu revele). Então, eu decidi adotar uma estratégia de observação, procurando por padrões de comportamento, reações, pistas… Alguma coisa!… Você sabe, para acelerar… O que nunca deve ser acelerado (kkk). Para adiantar o final, a situação passou de crush para CRASH!.
 
Fato é que, antes do “crash”, um dia, estava conversando com alguns amigos sobre como o cara em questão poderia ser definido, se ele representaria um arquétipo… Bem (eu pensei): Influenciador (é claro), porque ele não sabe o que quer, mas ainda assim, consegue e ninguém sabe como.
 
O arquétipo Influenciador é inteligente, reservado, às vezes um pouco frio em seu pensamento, mas também com alta capacidade de idealizar. É silencioso, tem a palavra exata. Quando em desequilíbrio, duvida, hesita, mente e manipula e é neurótico. Quando está em equilíbrio, é calmo, sereno, claro e influente. Ele é como o ar, que pode ser uma brisa morna ou um vento frio que destrói tudo em um segundo.
 
Em seguida, surgiram aleatoriamente os outros 3 Arquétipos principais, incorporados em alguns dos amigos que estavam naquele momento:
 
O Conquistador está sempre procurando onde “colocar” a bandeira. Ele é confiante, conservador, protetor, próspero… Quando em desequilíbrio é super protetor, rígido, ganancioso, injusto e compulsivo. Quando equilibrado, é estável, disciplinado e concretiza o que se propõe. Ele é como uma terra fértil que te acolhe, ou como um terremoto que te tira do chão (e não no bom sentido).
 
O Encantador (que naquele momento eu o chamei de paquerador) está em busca de atenção de todos, e ele coloca todo mundo no bolso… É alegre e sociável. Quando em desequilíbrio, é insaciável, pegajoso, infantil, dramático e quer atenção a todo o custo, é dependente e impertinente. Quando em equilíbrio, é carinhoso, atencioso, receptivo e bom ouvinte, ele traz frescor com sua espontaneidade e autenticidade. Ele pode ser um lago cristalino e calmo… Ou um lago com águas escuras com monstro dentro.
E, finalmente, o Sedutor, que com seu magnetismo e ar enigmático, atrai a “presa” que ele escolheu. É seletivo, magnético e misterioso. Quando em desequilíbrio, é ressentido, reprimido ou desaforado, irritado, obsessivo e se ofende facilmente. Quando em equilíbrio, é energético, vibrante, criativo, brilhante, focado e atraente, causa impacto com a sua presença e elegância. Ele é como um vulcão que dá vida a novas terras ou que destrói tudo em seu caminho.
 
Finalmente, eu pensei: deveria criar uma consultoria sobre isso… Mas não sei como chamaria… Um grande amigo (que tem sido um apoio inestimável em todos os sentidos) falou: Arquétipos do Amor ©. E assim nasceu, espontaneamente, com o propósito de investigar os padrões de comportamento e entender porque nos relacionamos de forma como nos relacionamos, de onde surgem as compatibilidades, os condicionamentos… E, especialmente, as máscaras que nos impedem de ser quem realmente somos.
 
A partir desse momento, os estudos sobre os arquétipos, as feridas da alma, os 4 elementos da natureza interna, a leitura corporal e uma pitada de astrologia, me ajudaram a refinar o método e, criar as bases necessárias para apoiar as pessoas a se reconhecerem e iniciar um trabalho de reconexão com a sua autenticidade, para finalmente, permitir que a sua essência emerja através das relações (porque não estamos sozinhos em uma ilha desabitada).
 
Arquétipos do Amor © procura, através da identificação do seu Arquétipo Principal, curar o relacionamento com você mesmo e o com o seu entorno, nas instâncias pessoal, familiar, laboral e social. Livrar-se das máscaras que te distanciam de sua natureza, para que você se veja como realmente é, porque não há outra maneira de nos transformarmos, a não ser nos conhecendo…
 
Com a aceitação, a observação e a prática, percebemos que não somos apenas um único arquétipo, mas que este, representa uma energia que nos influencia, e que realmente temos os 4 arquétipos dentro de nós, de uma forma ou de outra. E também que, há uma maneira de liberar os padrões através da integração, que antes de nos classificar, nos une… Como um círculo (a forma geométrica), que por si só, representa “O” Arquétipo do Amor…
Facebook Comments